BlogDestinosDicasNacionais

Pantanal: Cenários de novela e contato com a natureza – veja como ir e o que fazer no destino

A novela Pantanal está chegando ao fim, mas o rico bioma que dá nome à trama continuará com as suas belas paisagens prontas para encantar turistas que amam destinos de natureza. Como foi palco do sucesso televisivo por duas vezes (fora as reprises), a região pantaneira tem atraído olhares de viajantes que antes, talvez, nem consideravam o Pantanal como destino.

 

Por isso, separamos informações para você saber o que aproveitar por lá e quais custos esperar para essa viagem. Caso tope descobrir o que o Brasil tem de mais precioso – nossa fauna e flora, adianto que os atrativos no Pantanal vão desde ter contato genuíno com a natureza, passam por experiências com toques de aventura e chegam até passeios cheios de sossego.

 

abraao-paes-Pantanal, Poconé - MT, Brasil Onça-pintada flagrada por turistas em Poconé, no Mato Grosso

Foto: Abraão Paes

Se você chegou até aqui, é bem provável que tenha curiosidade sobre a região que foi cenário das histórias de Jove e Juma Marruá, José Leôncio, Velho do Rio e tantos outros personagens da novela. Mas se ainda não decidiu se vai conhecer o Pantanal, antecipo o convite para ver com calma as fotos do biólogo Gustavo Figueirôa. Elas ilustram esse post com as belezas únicas desse bioma.

Diante de tanto verde, em uma viagem como essa uma coisa é certa, você verá dezenas de animais do Pantanal! Na região há pelo menos 4,7 mil espécies, sendo 3,5 mil de plantas, 650 de aves, 124 de mamíferos, 80 de répteis, 60 de anfíbios e 260 espécies de peixes de água doce, conforme o instituto SOS Pantanal. Dentre elas, algumas estão em risco de extinção e você só as verá por lá.

Pantanal no Brasil

Foto: Gustavo Figueirôa

Onde fica o Pantanal?

O Pantanal fica na Bacia do Alto Paraguai (BAP), localizado no Brasil, Bolívia e Paraguai. No nosso país fica a maior parte do território, que soma mais de 150 quilômetros quadrados, entre os estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Para ficar mais fácil, o bioma é dividido entre Pantanal Norte, que abriga Cáceres, Poconé e Barão do Melgaço, no Mato Grosso, e Pantanal Sul, onde ficam as cidades de Aquidauana, Corumbá, Miranda e Porto Murtinho, no Mato Grosso do Sul.

Pantanal no Brasil

Foto: Gustavo Figueirôa

Para os fãs da novela e curiosos, muitas gravações externas de Pantanal foram feitas no território do belíssimo Rio Negro. A região das locações fica no município sul-mato-grossense de Aquidauana, a cerca de 140 km da capital Campo Grande e 200 km da famosa Bonito.

É na bacia do Rio Negro que são encontradas as famosas “salinas”, grandes lagoas naturais de água salobra, com alta concentração de sais, que permitem paisagens únicas.

Pantanal no Brasil

Foto: Gustavo Figueirôa

O que fazer no Pantanal

As operadoras de turismo da região recomendam quatro dias para conhecer os principais atrativos do Pantanal. Dependendo da sua viagem, vale ampliar o passeio e visitar Bonito, cidade famosa pelo ecoturismo.

Dentre as principais atividades no Pantanal, o visitante pode fazer canoagem e observação de aves, fazer trilhas e safári de fotos, tomar banho de cachoeira e de rio, ver peixes nas águas transparentes do Rio Salobra, cavalgar, pescar e até viver “um dia de pantaneiro”, que inclui aprender a laçar e conduzir uma boiada (dá para acreditar?).

Ah, e tem mais! Imagina ver uma onça-pintada ou jacarés no próprio habitat? Pois é, isso é possível no Pantanal, por exemplo, durante os passeios de barco e expedições específicas. Outra atração é poder ver o encontro das águas claras do Rio Salobra com as águas barrentas do Rio Miranda, no Mato Grosso do Sul – paisagem semelhante a que ocorre com o Rio Negro e o Solimões, na Amazônia.

É importante destacar que existem algumas particularidades quando falamos sobre visitar o Pantanal, pois o lugar conta com uma estação chuvosa (de novembro a março) e a estação seca (de abril a setembro).

Diante disso, os passeios vão depender da época da sua visita. Então é essencial entrar em contato com o seu hotel ou agência para verificar a melhor época para fazer as atividades que você tem interesse. Se não, suas expectativas podem ser frustradas ao chegar lá e ninguém quer isso, não é mesmo?

Pantanal no Brasil

Foto: Gustavo Figueirôa

Outra sugestão são os passeios de carro sobre estradas com pontes sobre áreas alagadas, como a Transpantaneira no Mato Grosso. O trajeto com pouco mais de 140 quilômetros parte de Poconé, a porta de entrada ao pantanal mato-grossense, e chega até Porto Onofre. Por lá, e em tantas outras estradas, é possível ver animais de pertinho, buscando por água e comida.

Outras informações sobre as atividades feitas no destino podem ser conferidas no site da Fundação de Turismo do Mato Grosso do Sul. A página é bem completa e tem várias sugestões aos turistas.

Onça-pintada em Porto Onofre, no Pantanal

Onça-pintada em Porto Jofre (MT), no Pantanal (Foto: Gustavo Figueirôa)

Beleza natural

Dentre as belezas naturais do Brasil que merecem nossa visita em algum momento da vida, o Pantanal se destaca por ser uma das maiores planícies inundáveis do planeta. Justamente por isso, as paisagens e os passeios pela região podem mudar bastante dependendo do período, se for de seca ou de cheia.

Não sei se você sabe, mas, assim como as Cataratas do Iguaçu, o Pantanal é reconhecido pela Unesco como um dos Patrimônios Naturais da Humanidade. Por isso, ter uma região tão rica em biodiversidade no “quintal de casa” é um baita privilégio para nós, brasileiros.

Aproveitando a produção televisiva que citamos no começo do post, separamos esse vídeo para você poder relembrar as paisagens dignas de novela divulgadas no lançamento do remake de Pantanal, na Globo:

 

 

 

Como chegar ao Pantanal

É possível chegar até as fazendas que oferecem estrutura e passeios turísticos saindo dos aeroportos de Cuiabá (MT) e Campo Grande (MS). Mas, talvez, a tarefa não seja tão tranquila para todos viajantes, já que alguns podem ter enfrentado horas em conexões e, depois, também precisarão encarar a estrada. Dependendo da situação, a sugestão é pernoitar nas capitais e pela manhã sair para desbravar o Pantanal. Em Campo Grande, por exemplo, você pode visitar o aquário do Pantanal, também chamado de Bioparque Pantanal. 

A partir de Cuiabá, será necessário seguir pela MT-060 até Poconé (cerca de 100 km), pela MT-040 para Barão de Melgaço (pouco mais de 110 km), e pela BR-070 até Cáceres (220 km). Se não for alugar um carro, é possível chegar até essas cidades com ônibus que saem para esses destinos.

Pantanal no Brasil

Foto: Gustavo Figueirôa

No caso do Mato Grosso do Sul, saindo do Aeroporto de Campo Grande até Aquidauana são cerca de 150 km pela BR-262. Também pela BR-262 você pode seguir até Corumbá, mas o caminho é mais longo, com cerca de 440 km de rodovia. Para Miranda o trajeto é de 218 km pela BR-262, e de 440 km para Porto Murtinho.

Se fizer a viagem com agências, é possível ter translado incluso para os destinos dependendo do pacote de viagem contratado. Alguns hotéis também oferecem esse tipo de serviço, que podem ser cobrados a parte.

Pantanal no Brasil

Foto: Gustavo Figueirôa

Quando custa ir ao Pantanal

O preço de qualquer viagem depende muito do seu estilo de viajante, do roteiro escolhido e também da época do ano — já que na alta temporada os preços costumam subir. No caso do Pantanal, a alta temporada costuma ser de julho a agosto, pois a maioria dos visitantes ainda é de estrangeiros e esse é o período de férias no hemisfério norte.

São poucas as opções de hotéis e pousadas com serviço completo e boa avaliação dos hóspedes para reservar pelo Booking. Mas é possível encontrar acomodações como o Pantanal Hotel, em Miranda, por R$ 292 a diária para dois adultos. O Candeias Hotel Gold Fish, em Corumbá, a R$ 217 a diária. O Fênix Plaza Hotel, em Aquidauana, por R$ 329. O Hotel Pantanal Mato Grosso, em Poconé, com pensão completa a R$ 1.120 e passeios cobrados a parte.

 

 

No Pantanal você também encontrará grandes fazendas para se hospedar e fazer as atividades mencionadas nesse post. Como é o caso da Fazenda San Francisco, em Miranda, que oferece pacotes com passeios, pensão completa e hospedagem a partir R$ 1,7 mil para quatro dias e três noites em quarto duplo. Além de Day Use com guia, por R$ 250 para adulto, com safári, passeio de chalana, almoço e tour. As reservas devem ser feitas pelo site.

A Pousada Pequi também recebe turistas, em Aquidauana, com hospedagem que inclui dois passeios por dia e pensão completa a partir de R$ 918 a diária.

Pantanal no Brasil

Foto: Gustavo Figueirôa

Se optar ficar em um hotel em Miranda, por exemplo, pode complementar o roteiro com as atividades da empresa Pantanal Experiência, que oferece passeios por meio de day use, com valores entre R$ 100 e R$ 325. Além disso, eles também oferecem pacotes do “Comitiva Raiz” (com atividades típicas de peões) aos fins de semana, com hospedagem e alimentação, a partir de R$ 1,2 mil por pessoa.

Já para quem quer ver a onça-pintada, um dos lugares recomendados pelos locais é a Pousada Porto Jofre, em Poconé, na Transpantaneira. O lugar oferece expedições para tentar encontrar os felinos, com pacotes partindo de R$ 1,8 mil por pessoa, para três dias, com hospedagem, pensão completa e passeios.

Para pesquisar outros prestadores de turismo para contratar, você pode acessar esta página do Ministério do Turismo. A plataforma conta com todos os operadores cadastrados e indicação de como encontrá-los.

Pantanal em Poconé, no Mato Grosso

Pantanal em Poconé, no Mato Grosso (Foto: Nathalia Segato)

Passagens aéreas para o Pantanal

Os preços dos voos variam muito, conforme a cidade que você partirá para o Mato Grosso ou Mato Grosso do Sul. Na pesquisa feita agora, há passagens a partir de R$ 359 ida e volta. Mas o valor depende da cidade de saída e da data da viagem. 

Depois, se você for de ônibus até a cidade pantaneira escolhida para o seu roteiro, também deverá contabilizar a tarifa desse transporte. Por exemplo, há passagens entre Campo Grande e Miranda por R$ 87 o trecho, e de Cuiabá a Poconé a R$ 42.

Aeroporto de Campo Grande

Nossa experiência

O meu colega do MD Marcel Bruzadin esteve no Pantanal duas vezes e super recomenda o destino! Para ele, a região proporciona experiências únicas, de contato direto com a natureza e com oportunidades incríveis de ver dezenas de bichos (como tomar café da manhã pertinho de um tucano e uma arara-azul). Ele gosta tanto do lugar, que já tá com vontade de voltar mais uma vez.

Para o passeio ser perfeito, ele dá uma dica essencial para quem pretende ir para o Pantanal em abril: leve muito repelente! Na primeira vez que visitou Aquidauana, em abril de 2017, o maior aperto que passou foi levar muitas picadas de pernilongos. Ele contou que é preciso estar preparado para o ataque de insetos nessa época, quando começa o período de seca. De todo modo, afirmou que, apesar do incômodo, isso não estragou os passeios.

Felizmente, na segunda visita, em outubro de 2021, não houve nenhum problema com os mosquitos e tudo correu 100%. Inclusive, conseguiu ver uma onça-pintada durante um passeio na Fazenda San Francisco!

Passeios com observação de aves, no Pantanal

(Foto: Marcel Bruzadin)

Ele contou que, durante a viagem, ficou surpreso com o número de estrageiros nos passeios. Isso o fez pensar em como eles valorizam o nosso país, muito mais do que os próprios brasileiros. Também esperava que os roteiros fossem mais caros, mas se surpreendeu positivamente com a estrutura e serviços das fazendas, que oferecem muitos passeios e alimentação inclusa com preço justo.

Uma das sugestões do Marcel é fazer um voo de monomotor com os operadores locais. Apesar de ser uma atração mais cara, ele garante que a vista compensa e o passeio é imperdível (confira se a sua hospedagem ou agência oferece o serviço)! Veja as fotos a seguir que ele fez durante o voo.

Nas duas ocasiões o Marcel viajou com os familiares, incluindo crianças e idosos. Ele afirma que os passeios são viáveis para quase todas as pessoas. Para ter ideia, a esposa dele havia recém operado o pé e conseguiu participar de toda a programação. A mãe dele, que é idosa, participou de quase tudo, mas durante a cavalgada, por exemplo, ela preferiu ficar descansando na fazenda em que estava hospedada. Além disso, algo interessante é que viu várias crianças curtindo muito os passeios. Para ele, o fato da criançada poder ver os animais fora de um zoológico é muito enriquecedor e faz os pequenos valorizarem mais a natureza.

Para chegar em Aquidauana, o Marcel e a família pegaram um voo até Campo Grande e, depois, alugaram um carro para chegar na cidade. Eles se hospedaram na Pousada Aguapé e Fazenda San Francisco, e disseram gostar muito da hospitalidade e estrutura dos lugares.

Vale mencionar que a novela Pantanal estava sendo gravada por lá na mesma época em que o Marcel visitou a região. Imagina só se em alguma ocasião ele se deparasse com a Juma (haha)? Apesar de não encontrar os atores, eles foram informados sobre as gravações.

Pantanal é vida

Esse post foi só para dar um gostinho do que o ecoturismo do nosso país tem para te oferecer, mas também para reforçar que divulgar esses lugares pode trazer uma atenção mais do que necessária sobre eles, não somente para as causas importantes como a prevenção de incêndios e conservação do meio ambiente, mas também para conhecermos e valorizarmos mais o turismo do nosso país.

Instituto SOS Pantanal promove a conservação de desenvolvimento sustentável do Pantanal por meio da divulgação de informações. Com eles dá para aprender muito sobre esse “cantinho” do Brasil e planejar melhor a sua viagem.

Vale destacar que o Pantanal não está totalmente recuperado do maior incêndio que já sofreu, registrado em 2020. Os impactos na biodiversidade ainda podem ser vistos na fauna e flora, que estão em recuperação.


Agora já sabe, se sentir saudade dos mistérios do Velho do Rio, das paixões proibidas e as mulheres que viram onças-pintadas… você vai ter que rever a novela haha! Mas para se sentir no universo da trama de Pantanal, sempre há tempo para programar uma viagem cheia de natureza pelas cidades com o bioma. Então me conta, tem vontade de conhecer o Pantanal? Acha viável? Compartilha com a gente nos comentários!

 

Por Mari Kateivas 

Talvez você possa gostar

Leave a reply

More in Blog