BlogDestinosInternacionais

Quatro desertos que vale a pena conhecer

Se você é daqueles curiosos que topam de tudo, este post foi feito pra você!

Com paisagens mais do que deslumbrantes, os desertos são destinos certeiros para os aventureiros de plantão e, claro, para aqueles que amam natureza e fotografias. Pensando nisso, o Segue Viagem resolveu selecionar quatro dessas maravilhas naturais para te incentivar ainda mais a arrumar as malas e embarcar sem medo de ser feliz.

O indomável Saara

Foto: Saara | Crédito: Google

Dono de uma variação de temperatura que pode chegar a 50°C durante o dia e ficar abaixo de zero à noite, o Saara tem mais de 9,4 milhões de km² de areia; não à toa, é o deserto mais famoso e misterioso do mundo. Tão extenso que percorre 13 países, conta com passeios que atendem a todos os gostos e estilos.

Vale fazer um safári pelo Marrocos, conhecer alguns dos vários oásis pelo Egito e aproveitar as expedições pela Tunísia, que incluem cânions, a bela região de Douz e algumas vilas. Imprescindível também é conferir o Vale M’zab, na Argélia, tombado como Patrimônio Mundial pela Unesco.

Ah, sim, e tudo isso sem levar em conta o céu sempre extraordinário, salpicado de estrelas e constelações. Simplesmente imperdível!

O esplendoroso Atacama

Foto: Atacama – Chile | Crédito: Google

Epicentro do astroturismo, o Atacama é uma das regiões mais áridas do planeta. Localizado no Chile e lotado de atrações que formam a sintonia perfeita entre gelo, sal e areia, o lugar é uma aposta sob medida para roteiros em família. Sabe por quê? Ele é perfeito para quem quer visitar lagunas, vales, gêiseres ou somente admirar a vegetação e os animais típicos, como flamingos cor-de-rosa e lhamas.

Acessível pelas cidades de Arica, Alto El Loa, Iquique, San Pedro de Atacama, Antofagasta, Vale de Copiapó, Limarí, La Serena, Valle del Huasco e Valle del Elqui, o deserto tem points únicos, entre os quais merecem destaque a Laguna Miscanti, o Vale da Lua, o Geysers del Tatio (campo geotérmico de onde jorram jatos d’água fervendo) e o Salar de Atacama (um dos maiores desertos de sal da Terra).

Admire as estrelas do cânion Guatin ou então de alguns dos vários observatórios, como, por exemplo, o Alma, aberto ao público nos finais de semana e endereço do maior radiotelescópio do mundo.

A imensidão do deserto da Namíbia

Foto: Namíbia | Crédito: Google

De dimensões incríveis, com areias fofas e banhado pelo Oceano Atlântico, o deserto da Namíbia tem o poder de fazer com que seus visitantes se sintam em um filme. Desbravado em carros 4×4 ou sobrevoando a região, ocupa parte da Angola, da Namíbia e da África do Sul.

Fotografe as icônicas dunas vermelhas gigantes (de quase 400 metros) do Parque Nacional Namib-Naukluft, em Sossusvlei, e aproveite também para subir até o topo da estonteante duna Big Daddy. Encare a temida região da Costa do Esqueleto e conte quantos navios naufragados você encontrará ao longo do percurso – a estimativa é de que mais de mil embarcações tenham sido abandonadas durante o período de exploração de diamantes, transformando-se, então, em construções “fantasmas”, hoje já bem afastadas do mar e “perdidas” no meio do deserto.

Por último, não deixe de conhecer Deadvlei, área repleta de árvores mortas com mais de 900 anos de idade. Seu esqueleto, intacto, se deve à intensa seca que toma conta da região e que dificulta a decomposição. Na tradução para o português, Deadvlei significa “pântano morto”. Extraordinário, não?

Fora isso, a reserva natural de NamibRand é o endereço certo para contemplar o belíssimo céu noturno.

O celestial Salar de Uyuni

Foto: Salar de Uyuni | Crédito: Google

Planície feita de sal, este deserto na Bolívia proporciona uma experiência que beira o surreal. Uma maravilha e tanto da natureza, este autêntico mar de sal tem 12 mil km² e fica a 3,6 mil metros de altitude. Neste reduto de beleza quase inacreditável podem ser encontradas as lagoas Verde e Colorada, bem como o vulcão Licanbur e a ilha Incahuasi, onde repousam cactos seculares e gigantescos.

Durante a estada, aproveite os dias chuvosos para admirar a paisagem criada por meio de uma ilusão de ótica, já que nesses dias o céu é refletido no chão, fator que faz com que o visitante pareça estar andando nas alturas. Um espelho d’água na maior planície de sal do mundo: definitivamente vale a pena!

Sem medo de viver, faça as malas, conheça um por um desses desertos e envie as fotos pra gente!

Talvez você possa gostar

Comments are closed.

More in Blog